Translate

segunda-feira, 10 de julho de 2017

A diferença entre preço e valor




PRIMEIRAMENTE: Apresentando NOVA MUSA NO BLOG!

Cansei um pouco da Jessica. Ela é muito bonita coisa e tal, mas está com uma agenda feminista/globalista que andava me incomodando. Desde a sua participação na Marcha das Mulheres (contra o Trump) que fiquei meio chateado. Outra coisa foi o papel dela em Miss Sloan bem ao gênero desarmamentista dos esquerdistas caviar de Hollywood. Enfim, ela caiu no conto do vigário e agora está sendo manipulada para divulgar a agenda da terrível esquerda. Sorry, Jessica, it's OVER.

Tomi Lahren é bem mais jovem, de ascendência nórdica, é linda, brilhante, inteligentíssima, legal, divertida, ácida e não é piegas. Embora ela seja mais da ala da direita, tem lá o seu valor. Continuo buscando uma musa libertariana atual, se alguém souber me fale, enquanto isso a Tomi leva a vaga de MUSA DO FRUGAL.





Olá amigos.

Vou falar um pouco sobre a minha percepção entre preço e valor, em várias coisas na vida.
É extremamente difícil explicar, aprender e viver esse assunto.

Preço e valor são duas variáveis que vão lhe acompanhar por toda a sua vida e você vai ter que ser capaz de saber diferenciar uma coisa da outra se quiser fazer bons negócios. Preço e valor não é só uma técnica pra analisar empresas, fundos, imóveis e várias outras coisas.

Você tem que aprender a compreender o valor das coisas.

O difícil é fazer entender o conceito de valor.

Isso se aplica pra muita coisa, muita coisa, mesmo.

Desde o que você come, a profissão que você escolhe, a pessoa que você se relaciona intimamente, seus amigos, o imóvel que você mora, o carro que você anda, a roupa que você veste, tudo isso tem um VALOR. O preço é secundário, extremamente secundário. E se você não perceber isso sua vida ficará bem difícil.

Dado duas calças jeans de qualidade MUITO parecida, trocando apenas a etiqueta, uma custa R$100 e outra custa R$600, por quê algumas pessoas escolhem a de R$100? Por que outras escolhem a de R$600? As primeiras ACHAM que o valor de ambas as calças é o mesmo, mas preferem escolher a que paga o menor preço para assim economizarem. Outras levam logo a de R$600 porque confundem o VALOR com o preço e acham que vestindo a de R$600 serão mais "valorizadas" no mundo. Eu não estou fazendo juízo de valor de nenhuma das duas pessoas, mas o fato é que se a calça é 99,99% parecida, não tem porque comprar uma bem mais cara. Isso é apenas um exemplo.

Quer outro exemplo?

Como VOCÊ escolhe uma empresa para trabalhar?

Já parou pra pensar nisso? Existe VALOR na empresa que você trabalha? Ou você entrou apenas pra ganhar um contracheque no fim do mês? Aonde sua vida vai dar no fim das contas.

Bem, você pode se iludir o quanto quiser no valor das coisas, mas no final isso será mostrado e evidenciado. Ninguém pode esconder-se da verdade a vida toda. Se você trabalha numa empresa sem valor, ou num órgão público sem valor, você não terá valor e dificilmente construirá um legado sólido para lhe sustentar.

Já parou para ver as finanças da sua empresa antes de entrar? Se ela tá lucrando? Crescendo? Se está num mercado em crise? Com margens caindo e concorrência apertando? Se a empresa não tem perspectiva de crescer, como você vai crescer nela? Se a empresa já vem diminuindo de tamanho a muitos anos, por que você entraria nela? Apenas por que estão contratando? Pense bem.

Outra coisa: carro. É incrível como o pessoal fala que o carro "desvaloriza" com 4 anos de uso. Esse é o tipo de gente que não sabe o que é VALOR num carro. Esse tipo de gente acha que um carro popular 2017, tem mais VALOR do que um SEDÃ IMPORTADO COMPLETO ano 2000, super seguro, com 8 airbags, automático, freios ABS e 5 estrelas no crash test. Bem, a gente sabe quem tem mais possibilidade de morrer numa colisão envolvendo esses dois carros, certo? Carro não desvaloriza, carro "desprecifica". Um carro seguro, moderno, com motor bom, estável e confiável sempre vai ser isso, mesmo daqui a 5 ou 10 anos. O valor tem mais a ver com a máquina que você tem e o que ela pode fazer por você, eu usei o carro só pra exemplificar. Um carro popular de plástico será um carro popular de plástico, não importa o ano das placas.

Pessoa pra se relacionar: PREÇO.

Preço pode ser a beleza momentânea, o curto prazo, a menina superbonita da academia ou o rapaz forte, simpático e galanteador. Mas e VALOR? Onde está o VALOR dessas pessoas (não disse que elas não tem), só estou falando pra procurar. São boas pessoas? Éticas? Estudiosas? Trabalhadoras? Esforçadas em melhorar de vida? Respeitam suas famílias? Não usam drogas, não vivem bêbados na rua e sem um real na carteira? Estão com a conta bancária no negativo por motivos fúteis e idiotas? Onde essas pessoas estão situadas na vida? E pra onde elas estão indo em cinco ou dez anos?
VALOR. Lembre disso. Beleza passa rápido (muito rápido), é fugaz demais, se parar academia e engordar 10kg já perdeu 90% do preço, e o valor que não tinha? Não se engane. Tem gente que se casa com preço, e três anos depois está com o abacaxi na mão, sem preço e sem valor.

Imóveis: Imagina que você quer montar uma escola de reforço, um Kumon, uma creche, um consultório de pediatria ou de psicologia pediátrica e imagina que você achou um imóvel numa rua que tenha umas duas ou três escolas famosas da sua cidade. Esse imóvel tem valor? Acredito que sim. É a mesma coisa da farmácia em frente ao grande hospital ou mesmo a funerária em frente ao hospital. Vocês já viram isso?

Você acha que vale a pena colocar uma funerária numa casa de bairro, escondida, onde não passa ninguém e não tenha nenhum hospital por perto? Será que daria certo? "Ah mas o preço da casa está muito bom, ESTÁ BARATA!" Comparando com a casa residencial do lado? Sim, tudo bem, mas você não vai morar nela, era pra fazer um comércio não era? O valor seria você comprar uma casa destruída do lado do hospital e colocar um prédio de três andares, farmácia embaixo, floricultura no meio e funerária no alto, aí sim! Então pense nisso se quiser procurar um imóvel comercial. Muita gente se dá bem na vida só colocando um hotelzinho ali na beira da estrada principal comprando um terreno num preço caro, mas sabendo que a receita de hóspedes vai ser grande por algum motivo.

Na minha breve vida de investidor (de quase cinco anos) comecei a perceber muita coisa. É um aprendizado que não está nos blogs ou nos livros, mas está no mundo. Você chama de "intuição", o que pode parecer ser uma coisa sobrenatural, mas eu não acredito nessa via sobrenatural. Eu acredito que o conjunto de coisas que você vive, estuda, vê, trabalha, conversa, absorve, comenta e observa formam a sua percepção total, e daí você vai ter meios para tomar decisões, de coisas formadas no seu subconsciente, procurando valor, e dosando risco x benefício.

Já me livrei de empresas ruins, aprendi a perceber o que é governança, aprendi sobre o papel de algumas empresas na bolsa, aprendi o valor de alguns ETFs, aprendi como o pequeno investidor é enganado e feito de trouxa, enfim aprendi muita coisa.

Quando você finalmente a distinguir PREÇO x VALOR, você começa a se dar melhor na vida. Isso serve até pra programa de TV, gurus por aí, picaretas no geral, analistas e jornalistas do mundo financeiro ou até político. Até coisas como tratamento de saúde você vai ter que saber a diferença de preço pra valor. É um mundo que não dá pra colocar em um post, mas pelo menos tentei.

Inclusive a relação PREÇO x VALOR pode estar presente na briga pela sua alocação de ativos. Quem vai levar maior parte do seu capital? Renda Fixa? Fundos imobiliários? Ações? Um bond americano com P/L de 70 está caro ou barato? Se está caro como o governo americano consegue vender TRILHÕES de dóllares nesses títulos com P/L de 70? Por que o governo do Brasil não consegue vender TRILHÕES de reais em títulos da dívida brasileira pagando juros baixos? Num P/L de 70 também? Valor. Por que pessoas pagam um Google num PL de 30-35 e não pagam um preço de PL 15 numa empresa qualquer? Valor.

E por que você não compra REITS americanos que pagam 4% a.a em dividendos e quer comprar Fundos imobiliários brasileiros que pagam 8% de proventos em R$, sendo que em dólar, os REITS americanos estão pagando DUAS VEZES acima da inflação média americana e os fundos imobiliários brasileiros pagam apenas 2-3% acima da inflação brasileira? (agora imagina se os fundos imobiliários brasileiros pagassem DUAS VEZES o valor da nossa inflação ou seja IPCA x 2? Como seria sua escolha?).

O que move suas escolhas? Onde você está vendo VALOR?

Lembram do terreno que falei que comprei por 50k?

Então, hoje o muro foi concluído. Mesmo sem estar à venda, passou um cara lá e já pediu meu telefone pros pedreiros, gastei R$2400 pra fazer um muro de 2x20m mais um portãozinho de aço soldado. O valor do terreno (que a prefeitura deu pra gerar o imposto) foi de R$90 mil. Paguei 50. O pedreiro disse que o cara compraria até por 70k. Eu não vou vender por 70k porque acho que não vale a pena, ele vale pelo menos 90k brutos, mesmo com esse "trade" de 20k batendo na minha porta não vejo sentido, isso pq não tou vendo preço e sim valor, e ainda mais com um muro bonitão e novo de 2m de altura, agora não entrego por menos de 93k, exceto se eu estiver apertado.

Tenho uma intuição de que a área que estou negociando a casa para colocar a franquia vai valorizar bastante e vai virar 100% comercial na próxima década. Ninguém com dinheiro e juízo quer mais morar em casa boa de rua, fica muito visado pra bandidagem. Sinceramente não sei o destino dessas casas. Se estiverem num bairro comercial o dono ainda vai ter a salvação de vender ou alugar caro e ir morar num condomínio fechado.

Se for um bairro puramente residencial apenas com casas muito boas de rua, numa cidade violenta (qual não é no Brasil?) o futuro do imóvel é nebuloso. Vai restar ao dono se armar e ficar cheio de cachorros, morrendo de medo de entrar e sair de carro, pois pra bandidagem entrar armada e sequestrar/roubar/matar alguém é uma mera questão de TEMPO. Pode demorar 3 anos, 5 anos, 8 anos, mas VAI ACONTECER. Não importa se a casa é no SUL, SUDESTE, no NORTE, no CENTRO OESTE ou no NORDESTE.

Tente sempre separar preço de valor nas coisas que você vai utilizar/comprar/vender e achar o melhor equilíbrio para você. Não se iluda com preço barato do que não tem valor, e nem pague caro pro que não tem valor que justifique. O bom negócio mesmo é pagar barato em algo de valor, mas isso aí é extremamente difícil e complicado, e pouca gente está no lugar certo e na hora certa pra fazer isso. Muitas vezes é apenas questão de SORTE + ter o dinheiro na mão e quase nunca pela genialidade do comprador. O acaso tem componente forte em muita coisa.

No mais, tenha muita calma com a ladainha e a picaretagem que andam soltas por aí. Já tem até pirâmide de bitcoin e grupo de empréstimo de bitcoin (eu me supreendo com a criatividade do brasileiro em tentar roubar seus concidadãos). Também parece que estourou a bolha do hardware pra "minerar" Ethereum. O pessoal comprou essas máquinas achando que o investimento iria se pagar em seis meses, é muita inocência.

QUAL INVESTIMENTO NO MUNDO SE PAGA EM SEIS MESES? Só se for comprar cocaína na Bolívia e vender na balada em Londres, aí eu acho que se paga, fora isso amigos, só vendendo fuzil no morro.

Fora essas coisas de sempre de marketing multinível/pirâmide como telexfree, hinode, herbalife, monavie, riqueza fácil e 2% ao mês.

E vamos trabalhar que ainda temos seis meses em 2017 pra ganhar dinheiro, investir e começar um 2018 de forma fenomenal. Dinheiro se ganha TRABALHANDO. E o que você ganha é seu, lhe pertence, e você não será preso por ter ganhado ele trabalhando.

Grande abraço,

Frugal.

17 comentários:

  1. Cara piramide ate a amway esta a anos fazendo isso, fiquei perplexado com a complexidade do sistema... O pessoal tem ate mentor pra vc ahhaha

    ResponderExcluir
  2. Frugal,

    Ótima reflexão. A assimetria entre preço e valor é o tipo de conceito que, ou entende-se de cara, ou dificilmente se entenderá, independente do tamanho do esforço empregado.

    O que é fascinante é que, uma vez entendido, este conceito pode moldar a vida e definir o futuro do sujeito. Digo mais: a maioria das pessoas ricas, mas realmente ricas que conheço, mal sabem escrever, mas jamais deslizariam neste ponto. Nascidos na primeira metade do século passado, a maioria ganhou dinheiro com fazendas, terrenos, imóveis e similares; basicamente por saber comprar barato e fazer valorizar o ativo (mesmo que seja simplesmente esperando).

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu PM! Terras são sempre uma boa opção, embora a liquidez seja horrível, e não gerarem fluxo de caixa se não forem trabalhadas.

      Ninguém falou na Tomi?

      Excluir
  3. Frugal,

    Adorei seu post. Legal quando paramos para pensar nessa diferença de preço x valor, porém é bem difícil conseguir algo de valor por um preço acessível atualmente.

    Parabens pelo terreno, segura que logo logo voce vende por bem mais de 90k.

    Abraços do BnA

    ResponderExcluir
  4. Excelente texto, Frugal. Desde que comecei a perceber a assimetria entre preço e valor as decisões na minha vida (até mesmo fora da área financeira), foram muito mais certeiras.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Fala Frugal! Boa troca hein? Procura a Praxgirl no YouTube também! :)

    Frugal, manda o juízo de valor para aquele lugar! Quem compra aquela calça de 600 ou é muito burra ou é esnobe. Ponto rsr!

    Sobre o pensamento de valor da empresa, acredito que é muito mais válido para ser sócio dela. Para ser empregado não sei... é absolutamente normal procurar outro emprego hoje em dia. Além do mais, vc só sabe a situação real de uma empresa lá dentro.

    Quanto aos conceitos, perfeito! Nosso maior desafio é encontrar preço baixo por algo de valor alto e isso de fato, não é fácil. Para auxiliar tais decisões o conhecimento em si não é suficiente. Tem muito dessa percepção e discernimento global, que estamos adquirindo dia a dia em nossas vidas, seja com estudos, networking, ponderação e humildade.

    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande André! É que eu não queria entrar na voadora. kkkkkk
      Mas tem ramos que são bem decadentes, eu acho. E tem gente que já se prepara pra entrar em ramos decadentes, um exemplo que gosto de pensar é o da aviação. Muita gente gostaria de ser piloto comercial, mas a jornada de trabalho e as manobras dos diretores das empresas é sempre pra derrubar elas, ou até mesmo falir. Os pilotos além de estudarem muito e se dedicarem muito, perdem muito convívio familiar, é uma coisa que acho que não se paga pela dedicação e também não dá muito retorno.

      O conhecimento amplo a gente também deve buscar. O Warren dizia que lia mais de 10 horas por dia, sobre diversos assuntos, e não apenas finanças, talvez isso ajude mesmo, a ampliar a visão de mundo.

      Abraço

      Excluir
    2. Penso como vc Frugal, mas sei lá, às vezes as pessoas têm motivos que nossa própria razão desconhece...

      Li uma notícia que a BlackRock está baixando ainda mais as taxas de seus ETFs... Que diferença para nosso Brasil hein rsrs?

      Excluir
  6. Frugal, excepcional reflexão cara!
    Parabéns mais uma vez!
    Esses textos são incríveis. Valem muito pra vida.

    Abc

    ResponderExcluir
  7. Muita boa postagem Frugal!

    Essa é uma reflexão que sempre temos que fazer em nossas vidas, se o preço que estamos pagando está nos retornando valor compatível, não só na área financeira mas em qualquer coisa na vida.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitas coisas na nossa vida a gente paga um preço muito alto e recebe pouco, mas a gente só percebe muito tempo depois. Dificilmente a gente paga pouco e tem um retorno bom em algo, mas dá pra refletir melhor em muita coisa sim e evitar os extremos.

      Excluir
  8. Bem explicado esse post. Didática surpreendente. Algo simples, mas que muita gente não dá atenção. E com essa explicação, faz a galera pensar.

    Abraço Frugal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu IOL! Espero poder contribuir com o pouco que aprendi por aqui tambem!

      Excluir
  9. Seus posts são de uma preciosidade rara.
    Após ter conhecido seu blog, mudei minha maneira de pensar em muitos aspectos. Eu confesso que estava vivendo meio que no automático e tomei vários "choques de realidade".
    Muito obrigada por compartilhar seu conhecimento conosco!
    Lila

    ResponderExcluir
  10. Oi Lila, muito obrigado pelas palavras.
    É por causa de comentários como os seus que eu sinto que vale a pena me dedicar para este espaço.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  11. Excelente artigo, Frugal, contribuiu muito à finansfera. Me deixou bem reflexivo. Quanto à pirâmide de Bitcoin, ela existe mesmo. Ofereceram para um colega meu de trabalho.

    Abçs!

    ResponderExcluir