Translate

quinta-feira, 23 de março de 2017

É bom ver a bolsa de valores do Brasil cair

Parece que faz muito tempo que não escrevo aqui, mas não deu nem cinco dias. O interessante é que nunca fui tão rico mês passado e nunca vi tanto o preço dos ativos da minha carteira de ações caindo, do fim do mês para cá foram quase R$ 100 mil de queda (em uns 15 dias) .
E o que eu acho disso? Eu acho que alguns balanços estão bem meia boca, o que é muito chato, e alguns balanços estão surpreendendo muito bem. Eu acho que comecei vacinado com a queda de 2015 o ano todo, e fui comprando mesmo assim, talvez por isso o patrimônio tenha dado um salto tão grande, explico mais à frente.
Vamos falar aqui sobre bolsa. E sobre uma análise qualitativa do que é a bolsa e o que é ser o Buy and Hold.
Bolsa é, de longe, o meu assunto preferido, mais desafiador, mais intenso e o que mais me estimula a estudar e aprender pela sua variedade e complexidade.
Para entrar na bolsa você tem que saber o que está fazendo e qual a sua proposta. Não adianta entrar “pra ganhar dinheiro”, ou “para ficar rico rápido” ou achando que “é mais inteligente que os outros, ou mais inteligente do que a média”. Se você se propões a ser um holder e a fazer o buy and hold tem que estar seguro da sua estratégia.
Você tem que SABER que:
1) Ações são um INVESTIMENTO A LONGO PRAZO ou mesmo PRAZO INFINITO.
2) Ações não vão lhe remunerar bem HOJE e sim NO FUTURO.
3) Ações que vão lhe alegrar NO FUTURO são as de empresas BOAS.
4) Ações de empresas RUINS e com VALUATION bom, vão lhe fazer PERDER DINHEIRO.
5) Não existe um VALUATION sem uma empresa e nem uma EMPRESA SEM UM VALUATION. Não se compra números em tabelas, você se ASSOCIA a um negócio em andamento, se o andamento der errado, a sua sociedade vai dar errado.

6) Se você quer dinheiro para hoje, ou pro mês que vem, ou pro ano que vem, ou para daqui a 5 anos, FIQUE FORA DA BOLSA (você não é obrigado a entrar) mas pode ser obrigado a sair (e com o rabinho entre as pernas, todo surrado).

7) Acompanhe as suas empresas (mas não fique neurótico, no máximo dê uma olhada no trimestral e uma olhada melhor no anual, SOMENTE. Essa parte aqui NÃO INCLUI A COTAÇÃO OU A RENTABILIDADE DO ATIVO.

8) Essa aqui eu faço para mim mesmo, eu costumo dar uma olhada nos MÚLTIPLOS da empresa, no dia que vou comprar, para me assegurar que não estou comprando o papel com um valuation muito distorcido, numa bolha ou passando por alguma oscilação muito grande em algum múltiplo, considerando o contexto da empresa, suas concorrentes e o mercado geral em si. Por exemplo, eu não compraria um Nikkei com um PL de 200 e nem uma PONTO.COM com PL de 150. Não. Existem diversos mandamentos do investidor defensivo muito bem explicados por Filipe Fischer, Peter Lynch, Ben Graham e Warren Buffet que contrariam isso, no geral você tem que saber o seu limite, os seus critérios.
Eu não sou nenhum fodão da bolsa e nem das finanças, sou apenas mais um aprendiz desse assunto no planeta. E aqui só estou passando um pouco da minha visão, e das coisas que li e aprendi.
Lembro-me que quando comecei eu pensava assim:
Dia 15 quando cair o dinheiro vou comprar Banco do Brasil.
No dia 10 ela subia 1%, no dia 11 subia 2%, no dia 13 subia 0,5%, no dia 14 subia 1,5% e finalmente no dia 15 quando eu comprava, chegava no final do dia ela tinha caído 3% e eu poderia ter comprado ela mais barato uns 50 centavos.
Nossa, eu ficava muito puto, xingando os deuses, se daquele dinheiro eu tivesse comprado 6 dias atrás iria ter 100 ações A MAIS do papel. Eu não entendia muito bem o que estava fazendo, eu não estava de fato errado, mas estava pensando errado. Então aqui nesse momento eu ficava PUTO depois de ter comprado o papiro depois de TANTA SUBIDA.
Se eu ficava PUTO depois de comprar o papel depois dele subir muito, devo ficar bem felizão de comprar depois que ele cai uns 15% numa semana, né? Sim e não, é legal, é reconfortante, é um pouco menos doloroso, mas nem quer dizer muita coisa.
Uai Frugal, não estou entendendo é nada.
Explico.
O Buy and Hold VAI MORRER cheio de ações no patrimônio. Sim, porque para viver de renda de ações você tem que ter MUITA, mas MUITA MESMO, não adianta ter meia dúzia, é uma coisa que você vai ter que comprar desde o dia que começou a trabalhar até chegar, E SE CHEGAR, o dia em que você vai poder parar de trabalhar sem diminuir o padrão de vida ou passar necessidade.
Ter 400 0u 1000 ações a mais, porque você acertou uma baixa e comprou essas 1000 ações num preço um pouco menor, NÃO VAI FAZER MUITA DIFERENÇA no longo prazo (e ações são um investimento PARA O LONGO PRAZO). Tudo bem que HOJE, economizei 200 reais porque comprei o lote um pouco mais barato, MAS O QUE VÃO SIGNIFICAR ESSES 200 REAIS DAQUI A 30 ANOS?
Investir em ações é como se fosse uma aposentadoria privada que você estivesse pagando para si mesmo, com a diferença que vai lhe remunerando ao longo da vida, e que você pode usar o dinheiro ou reinvestir, o que é mais sábio e prudente obviamente.
Como eu me imagino daqui a uns 20-30 anos?
Mais ou menos com uma carteira com empresas de boa qualidade, bem diversificada, empresas boas e lucrativas, gerando renda constante, com milhares de ações de todas elas, e podendo utilizar parte do dinheiro para viajar ou pagar algumas contas de casa, sem me preocupar em reinvestir TUDO de volta na carteira, e tocando minha vida tranquilamente. É pra isso que serve o buy and hold, ajudar você a ter um futuro um pouco mais tranquilo.
O mercado é feito por centenas de milhares de pessoas, empresas, assets, fundos de ETFs, corretoras, governos, moedas, gestores, fundos de pensão e investidores individuais. Esses sujeitos compram e vendem ações e moedas todos os dias vinte e quatro horas por dia. Não adianta você querer saber mais do que eles ou tentar fazer jogatina pura e simples, a chance de perder é bem maior do que a chance de ganhar.
Para ter sucesso no BH, você tem que saber MUITO BEM no que consiste o BH.
Você sabe mesmo? Ou acha que sabe?
Vou definir aqui no meu entender o que é o Buy and Hold (a la Buffet).
BUY AND HOLD:
ACUMULAR AÇÕES DE EMPRESAS BOAS.
COMPRAR AOS POUCOS.
DIVERSIFICAR.
PROTEGER SEU DINHEIRO.
NÃO ESPECULAR.
NÃO BUSCAR LUCRAR COM TRADES.
NÃO MISTURAR COM SWING TRADE OU DAY TRADE OU OPERAR VENDIDO.
NEM PENSAR, NEM SONHAR EM FAZER VENDA DESCOBERTA.
NÃO ALAVANCAR, NÃO APOSTAR.
Ah mas a rentabilidade…
Ah mas a Renda Fixa…

Ah mas o Tesouro Direto…
Pessoal, não dá pra comparar investimentos em ativos diferentes, se eles tem riscos diferentes, NÃO TEM COMO.
Você pode até comparar, mas essencialmente está errado por natureza, mesmo sendo tudo contabilizado em dinheiro, classes diferentes de ativos como imóveis, ações e renda fixa não tem como comparar, principalmente em rentabilidade. Cada coisa tem seu objetivo, sua função, seu papel, sua natureza. Cada coisa foi feita para uma coisa.
Não tem como comparar o atacante do time, baixinho e habilidoso que fez 30 gols no campeonato com o goleiro alto e lento que defendeu 80 bolas no gol. Como que você vai comparar eles? Medindo o quê? A altura? O peso? A cor da pele? E o que vai fazer com esses dados?
Cada investimento tem a sua função. Se você não gosta ou não entende ou não está preparado para investir em ações, não tem problema algum, fique de fora e seja feliz. Você não investe em milho, e não está infeliz por causa  disso, não é? Mesma coisa com ações.
Agora sim, por que o título do post é esse?
Bem, PORQUE O HOLDER se BENEFICIA quando o papel CAI. É nas quedas que se abre uma pequena janela para ele comprar um papel que gosta por um preço menor e assim adquirir MAIS ações, e assim, NO FINAL, vai terminar com MAIS PATRIMÔNIO.
Imagine duas situações A e B. Na A o papel SEMPRE SOBE (rentabilidade positiva sempre), na B o papel sobe e cai, sobe e cai, sobe e cai, mas no final o saldo final é positivo e em 10 anos ele está no mesmo preço de A que sempre subiu e nunca caiu.
Considere uma mesma empresa com dois cenários diferentes e o prazo de 240 meses no total. Desconsidere inflação e dividendos para simplificar.
Na situação A ele compra R$1000 por mês do papel, o papel custa 20 reais no primeiro mês e sobe 1 real por mês. O investidor SEMPRE vai ver o seu patrimônio e sua RENTABILIDADE positiva, MAS CADA MÊS QUE PASSA ele vai comprar um pouco menos de ações da empresa, já que os R$1000 para investir são fixos. No final desse período ele vai ter um número de ações X e um patrimônio X1.
Na situação B ele compra os mesmos R$ 1000 por mês, o papel custa 20 reais no primeiro mês e sobe e cai muitas vezes, custando as vezes 9 reais, 8 reais, 6 reais, 10 reais. (Perceba que por exemplo, se ele tiver um preço médio de 15 reais num dado momento e o papel cair e custar apenas 10 reais e ele for olhar a rentabilidade, irá ENXERGAR -33%!!). – QUE DOSE HEIN? PORÉM, no final dos 240 meses ele vai ter UM NÚMERO MUITO MAIOR DE AÇÕES da mesma empresa e um patrimônio Y (MUITO MAIOR do que X).
Como a empresa é boa e lucra bem, a cotação e o patrimônio do acionista irão sempre crescer investindo nessa empresa, pois no longo prazo a cotação segue os lucros e a boa governança da empresa. Então o que importa mesmo é se a empresa é DE FATO, BOA, NÃO IMPORTANDO A COTAÇÃO, e quando a cotação CAIR, ao invés de ficar TRISTE por ver seu patrimônio NEGATIVO naquele papel, VÁ LÁ E COMPRE MAIS!
Se você for tabular os dados numa planilha (não sei fazer isso) vai ver que na situação A você não tem surpresas desagradáveis, mas vai terminar com menos patrimônio do que na situação B.
Ah Frugal, é muita teoria, é teoria pra caramba, e ainda tem que tabular dados e fazer uma simulação, você dá muito trabalho.
Quer saber? Vou dar um exemplo. (História verídica)
A primeira vez que comprei M. Dias Branco MDIA3 ela estava a R$89 reais a ação, eu fui lá e comprei 100. R$ = 8900
Outra vez fui lá e comprei a R$ 99 reais mais 100. R$ 9900
Outra vez comprei a R$ 95 reais. R$ 9500
Depois dessas três compras eu tinha 300 ações MDIA3 a R$ 94,33 o preço médio, certo?
Não é que um belo dia esse mesmo papel estava sendo negociado a R$80 reais?
Pois é 300 x 80 = 24000.
E eu tinha gastado 28300 para ter aquelas 300 ações.
É aí que vem a diferença do verdadeiro BH para o sardinha como dizem alguns.
O que o sardinha pensa? Porra, PERDI R$ 4300 reais nessa ação. Se eu tivesse colocado na RF ou na poupança, HOJE em dia eu teria quase 30 mil reais, reaplicando os juros. O sardinha fica lá vendo as linhas vermelhas no Google Finance ou no aplicativo da BM&F ou então na planilha que ele mesmo fez em casa. E fica achando RUIM porque o PREÇO da empresa que ele é sócio caiu um pouco, decide NÃO COMPRAR MAIS A AÇÃO porque está começando a empresa ruim ou que não vale o investimento.
O que eu pensei cá com meus botões? Poxa, vou rever os fundamentos da empresa. Fui ler os releases, os quadros do Bastter, tudo certinho, lucro não cresceu tanto quanto no ano passado mas tudo bem, sem dívidas consideráveis, num PL que não era fora do padrão de empresa boa, taí vou comprar mais, a empresa continua redondinha.
Como eu estava com um dinheiro bom comprei mais 300 ações a 80 reais. R$ = 24000
Agora eu tinha gastado R$ 24000 + os R$ 28300 anteriores = R$ 52300,00 neste papiro, dividido por 600 = 87,16 o valor de cada ação na minha mão.
Muito bom, diminuí o meu preço médio de R$ 94,33 para 87,16 num papel de uma empresa boa e com bons fundamentos, e dobrei minha posição nela agora tenho 600 ações.
E o que acontece com o papel de empresa boa, bem gerida e que lucra? Isso, sobe.
Hoje eu acho que está uns 120 reais ou algo assim, e 120 x 600 = 72 mil reais. É o que eu tenho mais ou menos nesse papel.
Então esse é um exemplo prático e REAL que aconteceu comigo de que NÃO NECESSARIAMENTE a queda é uma coisa ruim, e que no futuro e no LONGO PRAZO você pode fazer bons negócios de verdade nos dias dessas quedas, do pânico, do Trump ou de quando o mundo for acabar.
Isso quer dizer que eu quero que o papel caia para 10 centavos amanha pra eu comprar uns 150 mil papéis? Claro que não né. Tem que ter bom senso, cair pra 10 centavos é porque a fábrica explodiu e matou 10 mil empregados.
A volatilidade da bolsa, os rendimentos negativos e os papéis caindo lhe AJUDAM SIM, a comprar mais ações. Não precisa se desesperar ou ficar triste, isso tem jeito, só basta que a empresa seja boa (não precisa ser fenomenal, apenas boa).
Semana que vem eu vou às compras.
Não seria nada mal mais umas quedinhas até lá.
Espero que tenham entendido bem a mensagem.
Grande abraço,
Frugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário