Translate

sábado, 27 de maio de 2017

A importância da liquidez


É muito importante ter uma parte do seu patrimônio com uma boa liquidez (imediata) por sinal.

Hoje em dia eu tenho conta em dois bancos no Brasil, dois bancos nos Estados Unidos, em uma corretora no Brasil e em outra nos EUA (corretoras de valores).

Tenho um troco de nada na poupança, outra parte num cdb de liquidez diária,  pouco em cada conta corrente e mais ainda um pouco de nada na corretora do Brasil (eu espero juntar com o próximo aporte pra comprar).

O fato amigos, é que perdemos algumas oportunidades por não estarmos 100% líquidos com alguma quantia. As oportunidades aparecem podem acreditar, mas você tem que estar preparado.

Não sou entusiasta de "trabalhar" o dinheiro como dizem por aí, ficar com agiotagem pra qualquer um, ficar trocando cheque ou sei lá o quê, pra falar a verdade não gosto muito de negociar com dinheiro na mão, deixo no máximo uns 200 reais na carteira que por vezes duram o mês todo (90% dos meus gastos é cartão de crédito ou pago boleto direto no app do banco no celular).

Mas uma das coisas que me arrependi desde quando comecei a investir era esvaziar logo meus fundos e aportar comprando ações. Demorei muito pra aportar algo no Tesouro Direto, poupança e CDB assim como demorei pra fazer uma boa reserva de valor e reserva de emergência.

Você tem que ver a sua situação.

A gente pode perder bons negócios por não estar líquido, tudo bem que não é isso que vai te deixar rico, mas ganhar uns 500 reais a mais por mês apenas fazendo uma transação finaceira boba ou um trade podem pagar uma conta ou outra.

Quando a JBS caiu 30% num dia, eu "sentia" que ela ia subir, ficou com PL de 4 e isso não existe. Não deu outra. Subiu 22% no outro dia. Se eu tivesse pelo menos uns R$5 mil na conta da corretora teria comprado um pouco pra fazer um trade (não considero empresa pra ser sócio).

A outra vez foi quando o André Esteves foi preso e o BTG Pactual caiu muito na bolsa. Eu sabia que era histeria. Depois de 4 anos de bovespa já consigo ver onde é um movimento anormal de curto prazo e onde não é. Por exemplo, basta um grande escândalo do governo federal pra Banco do Brasil e CEMIG caírem. Quando elas caem 4-5% num dia, é quase certeza que vão recuperar isso na mesma semana.

Esse sentimento de navegar na onda dos preços (e não estou falando de análise gráfica) e nem nada, isso vem com o tempo. Claro que posso estar errado algumas vezes, mas em outras eu pensava "essa queda grande hoje não tem justificativa racional".

Outras vezes uma ou outra ação que eu estava de olho caía num mercado altista. Como pode? Tudo sobe e essa empresa boa tá caindo. Aconteceu com Porto Seguro ano passado (essa eu sou sócio). Tudo subiu menos ela. Pensei "vai subir" e subiu mesmo, demorou alguns meses, mas depois acompanhou a maré.

Eu li um livro muito antigo que se chama "Reminiscências de um especulador financeiro", o qual era muito interessante (apesar de eu achar que o autor MENTIU MUITO), mas deu pra aprender umas lições.

Quando ele analisava isoladamente uma ação e ia fazer um trade nela ele errava com muito mais frequência (e ele também operava opções, a sêco e a descoberto) enfim o cara era meio louco e se alvancava demais.

Certo dia ele foi se consultar com um dono de corretora que lhe ensinou valiosas lições (o autor quebrara totalmente umas três vezes até então, passou fome e frio nas ruas geladas de Chicago, décadas de 10, 20 e 30 do século passado). O dono da corretora lhe disse pra parar de olhar ações isoladas e observar mais o mercado (altista ou baixista, bear ou bull) que ele iria se dar melhor. E foi o que aconteceu.

Dá pra detectar certas irracionalidades no mercado sim, com experiência, bom senso e prudência.

Não que eu ache que isso dá pra virar um meio de vida, muito longe disso, mas dá pra tirar uns trocados de vez em quando, isso se você tiver LÍQUIDO, ou seja, com dinheiro já na conta da corretora, tem dias que não dá pra esperar a TED ou vender Tesouro pra liquidar e mandar pra corretora. Você tem que estar com a arma na mão para atirar.

Quem sabe não seja uma boa idéia deixar um dinheiro sempre disponível lá?
Tanto na corretora brasileira como na americana (meu caso) ou mesmo numa corretora de bitcoins?

Você vai se aprimorando como operador, e consegue perceber certas nuances no mercado, se acompanhar bem uma ação, ou ouro, ou petróleo, ou alguma commoditie. E não adianta estar com dinheiro todo travado ou sem margem na corretora.

A idéia não é ficar rico ou viver disso.

A idéia é apenas aproveitar certas oportunidades pra tirar um troco.

A verdade é que o comércio enriquece o ser humano. A diferença pros produtos do mercado financeiro para os produtos do supermercado é que os primeiros mudam de preço o tempo todo.

Se você chegasse no mercado e visse uma lata de leite ninho a 5 reais o que faria? Compraria umas 20?

É isso que acontece às vezes e eu vejo.

Outras vezes todo o supermercado fica mais caro, mas a lata de leite ninho continua a 12 reais, enquanto o leite Itambé foi pra 18 reais.

Das duas uma: Ou o Itambé vai ficar mais barato (tende a cair) ou o leite Ninho vai subir.

Pela lógica racional um Itambé nunca vai custar mais do que o leite Ninho.

E com as empresas acontecem isso.

Eu não contei quanto de dinheiro ganhei em Banco do Brasil até hoje, mas vou resumir a Ópera:

Banco do Brasil foi a primeira ação que eu tive, e a primeira que me pagou dividendos. Foi o primeiro banco que abri conta na vida e eu sempre gostei muito. Quando eu comprei na minha sardinhagem em 2013, comprei vendo o PL e o DY (sim amigos, sardinhice total), de uma forma tal que acumulei até hoje quase 4 mil ações desse banco (chegou a ficar quase em 160 mil reais só de banco do Brasil). Meu preço médio estava em 20 reais quando comecei a vendê-lo.

Tomei a decisão de liquidar minha posição em banco do Brasil por dois motivos:

1- É estatal e ineficiente.
2- O valuation dele estava maior que o do Itaú (acompanhei ambos por quatro anos).

E não concordo com isso.

O Banco do Brasil é o guaraná Dollynho. O Itaú é o guaraná Antártica.

Você não vai pagar 6 reais em 2 litros de Dollynho e 4 reais no Antártica, não é?

Pois bem, comecei vendendo R$ 20 mil por mês de banco do Brasil a mais ou menos 35 reais, 33, 32, 30 e por aí vai. Já vendi uns 70% da minha posição (que demora!) e mesmo assim ainda não zerei minha posição.

Então por esse lado foi bom estar líquido e aproveitar essa oportunidade.
Acho que vou fechar essa operação com 60% de lucro e sem pagar imposto. E ainda vou me livrar de uma empresa que hoje considero ruim e comprei na mais pura sardinhagem.

Para as próximas semanas estou preparando uma operação bastante complexa que não sei se vou comentar aqui, é apenas pra tirar um troco de vez em quando, mas é bem mais arriscada.

Quando você tem a informação na mão, dinheiro na conta e vê uma oportunidade, dá pra tirar o trocado da gasolina sim. E se alguém pode pagar a minha gasolina, por que eu pagaria?

Eu relutei em acreditar nisso, até por que não quero viver do mercado (de trades), mas se você vê a lata de leite Ninho a 5 reais vai fazer o quê? Deixar de comprar?

Além de tudo, isso é apenas um jogo. E de vez em quando é legal derrubar uns peões no tabuleiro.

Ah mas vai arriscar perder dinheiro? Sim, de vez em quando sim. A vida é feita de perdas e ganhos. O vencedor é aquele que acumula mais ganhos e controla as perdas, e quando perde, perde muito pouco.

Se eu pagar uma gasolina pra alguém um dia não tem problema.

Grande abraço,

Frugal.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Bitcoin chega a R$12.000,00




Sou muito ignorante no assunto Bitcoin.

Mas pelo menos já fiz um post sobre bitcoin que você pode conferir aqui:

https://frugalsimples.blogspot.com.br/2017/04/como-comprar-bitcoin-de-maneira-rapida.html

Sei que está na moda. Pessoas leram livros inteiros.
Existem grupos e mais grupos até no Facebook sobre isso.
Existem corretoras brasileiras grandes.

Por que estou de fora?

Ignorância. Preguiça. Falta de tempo para estudar.

O fato é que não entramos no que não conhecemos.

Bitcoin está numa bolha?

Não sei, ninguém sabe, talvez sim talvez não.

Eis a pergunta de R$1 milhão de dólares (ou muito mais).

O fato é que me sinto bem sardinha no assunto.

Imagina se venho fazendo all in dos meus quase 1,5 milhões que já aportei no mercado financeiro nos últimos quatro anos tudo em bitcoin? Acho que já daria uns 10 milhões. Eu venderia tudo, compraria TD, ações, stocks, fundos imobiliários e certamente teria uma renda passiva líquida de uns R$ 20 mil reais tranquilamente.

Mas o risco seria enorme. Quem poderia prever?
Eis aí um bom exemplo de que sem muito risco, sem muito retorno.
Quem colocou mesmo essa quantia aí em TD está com a mesma vida.
Quem colocou em ações está quase na mesma ou um pouco pior.
Quem colocou em fiis até que deve estar gostando do pingado todo mês na conta da corretora, é um alento e tanto.

A verdade é que All In em qualquer classe de investimento tem um pouco de loucura e risco, pode levar você à derrota total ou à vitória. E se o bitcoin tivesse caído pra U$1? Quem poderia imaginar?

Aliás é tudo tão novo e tão complexo que tá todo mundo meio perdido.
Mesmo os especialistas em bitcoins podem não saber de nada.
Bitcoin já tem inclusive concorrência de outras moedas. Blockchain é legal mas podem surgir outras.

A grande verdade é que sou conservador e medroso.
Sim, mesmo com esse monte de dinheiro em ações, como sei que é pro longo prazo vira um dos investimentos mais conservadores que tenho.

O que sei amigos, é que estamos numa fase de deslumbramento muito grande com o bitcoin e isso pode ser perigoso sim. Tem muita sardinha falando em bitcoin, pessoas que não tem nem dinheiro na poupança estão abrindo conta em corretoras de bitcoin.

É chato ficar de fora do trem da alegria, mas até agora foi uma escolha minha.
Acho que vou ler mais a fundo o assunto e melhor nisso. Mas não estou disposto a entrar por enquanto.

O fato é que os deuses do meu panteão nunca falaram sobre bitcoin. Fico com a sensação de que perdi o bonde.

Mas e daí? Talvez eu não tivesse colocado nem R$50 mil e teria R$200 mil hoje em dia (que não mudaria minha vida). E acho que esse negócio de investir pra mudar de vida MUITO RAPIDAMENTE é muito nebuloso e improvável. Seria um tiro em um milhão.

Ninguém é tão foda assim.

Tenham muito cuidado com relatos de terceiros ou quartos ou sardinhas soltas por aí.
Quase ninguém sua a testa centenas de horas por semana pra derramar numa coisa que não conhece.

Eu só sei de uma coisa: no próximo cataclisma que derrubar o preço do bitcoin eu vou entrar (de preferência já com algum conhecimento mais sério sobre o assunto).

Grande abraço,
Frugal.

sábado, 20 de maio de 2017

IRB vai abrir IPO na Bovespa

Faz tempo que acompanho essa empresa e espero esse IPO.

Eu nunca entrei num IPO, e não aconselho ninguém a entrar, e esse é o conselho que a gente escuta muito por aí, Buffet e Bastter são avessos ao IPO.

Entrar em IPO é um tiro no escuro, é pagar a conta do Road Show, das comissões dos banqueiros, da bovespa e dos impostos pro governo.

Mas será que mesmo assim vale a pena entrar em IPO?

Sinceramente colegas, não sei.

Já li alguns estudos e a conclusão é de que não valia a pena. Não porque as empresas dos IPOs não eram boas, mas sim porque os preços das ações vem normalmente inflados.

Mas independente do IPO ou não, fico feliz de mais uma empresa de porte grande esteja querendo entrar na bovespa e a gente possa ter a possibilidade de ser sócio dela um dia. Tem que ver quais os múltiplos ela vai estar na hora do IPO e ver se vale a pena, com a possibilidade de você comprar a ação a 15 reais, e dali a seis meses ela está valendo 8 reais ou até mesmo 30 reais, ninguém sabe pra onde vai, e possivelmente vai cair após o IPO.

Teve uma empresa que se chama ALLIAR, de diagnósticos médicos (tomografia, ressonância magnética) que desde que abriu o IPO o capital caiu 30%. Eu sabia que era roubada, pois entre outros, um dos sócios que embolsou umas centenas de milhões nesse IPO foi o Roberto Khalil, aquele cardiologista do Lula e da Dilma, então já viu né?

Tem outra empresa de médicos que se chama Hermes Pardinni, que abriu capital na bovespa, não sei pra onde foi o preço da ação pois não acompanhei. Mas não me sinto confortável. Não gosto de empresas médicas, e principalmente as gerenciadas por médicos. Tenho um preconceito muito grande com médico quando se metem a ser empresários, donos de hospitais ou gestores de clínicas, planos de saúde e etc. Os exemplos que vi, convivi e ouvi falar de médicos tocando negócios foram sempre péssimos, não sei porque mas foi.

Bem, voltando a falar da IRB, não sei como irão lançar o IPO, sei que o governo federal está precisando de dinheiro e vai vender boa parte do capital dele na empresa. Não sei se ela tem um monopólio garantido por lei, sei que é a maior do Brasil, e parece ser bem lucrativa. Entrando no IPO ou não, vou acompanhar a empresa para me tornar sócio.

Vamos ver o anual de 2016 da companhia em algumas imagens:








Prestem atenção nos sócios da IRB.

O IRB é uma empresa de resseguros, ou seja, ela cobre uma parte dos seguros que as seguradoras cobrem, então ela fica por trás dando mais liquidez e seguranças nas operações.

Para saber o que é um resseguro clique aqui: http://www.tudosobreseguros.org.br/portal/pagina.php?l=366


O setor de seguros ainda é muito incipiente no Brasil. Ainda tem um mundo pra crescer. E quando eu me lembro que empresas como a Berkshire cresceram bastante e eram de seguros eu me animo um pouco com o cenário.

Acho que é um mercado com muito potencial para crescer. Na medida que as pessoas aqui forem se educando mais e tendo uma melhor renda, o consumo de seguros vai crescendo e ainda mais por questões judiciais e administrativas, o mercado está cada vez mais exigindo seguro para muita coisa, fiança locatícia, acidentes pessoais, viagem, saúde, empréstimos, financiamentos, colaterais, aluguéis e etc.

Me parece ainda que a gestão do IRB não é mais estatal, e que provavelmente não vai ser mais, e que como o Bradesco e o Itaú são grandes acionistas, tem tudo pra ficar bem administrado com a mão e a experiência desses caras.

Claro, amigos, não é recomendação de compra e muito menos de entrar no IPO.

Mas vejo com muito bons olhos essa empresa.

Grande abraço a todos,

Frugal.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Como lidar com o pânico na bolsa?

NÃO FAÇA NADA!

Primeiramente, NÃO FAÇA NADA!

NÃO COMPRE NADA!
NÃO VENDA NADA!

Desligue seu PC, tire seu celular da internet e vá ler livros, vá caminhar, vá ver um filme.

ESQUEÇA AS NOTÍCIAS!

Você nunca vai saber o que os jornalistas querem, quem paga a eles, quais os grandes investidores e fundos que estão por trás disso.

O Brasil é um mercado muito pequeno e muito fácil de ser manipulado, essa que é a verdade, não todo dia e toda hora, mas em dias como esses é um mercado facilmente manipulado.

Se você é um investidor consciente, estudado, que já sabe o que faz, não vai ficar nervoso e nem nada hoje.

Já saiu o anual de várias empresas (inclusive vou começar a fazer o post delas) e muitas vieram muito bem, como por exemplo M. Dias Branco e ENGIE, empresas muito boas e muito bem administradas, excelentes para ser sócio, então por que raios a M. Dias Branco iria cair 15% num dia? O povo vai parar de comer biscoito e macarrão? Certamente não.

O investidor inteligente sabe que nesses momentos é melhor não fazer nada, pois a volatilidade está muito grande, tudo pode ter caído e pode cair ainda mais.

Nada impede que algo que caiu 10% ontem, caia mais 20% hoje.

Esse é o dia pessoal, que chamamos de Cisne Negro, quando ele vem abala tudo.

Eu tinha feito esse outro post aqui falando sobre o ano de 2015, quando a minha rentabilidade total foi de -15% e fiquei R$ -100mil em queda do meu patrimônio na bovespa, confira o post e veja o que aconteceu depois:
https://frugalsimples.blogspot.com.br/2017/03/e-bom-ver-bolsa-de-valores-do-brasil.html

Preciso lhes lembrar que as cotações no longo prazo vão seguir os lucros e a boa administração das empresas, e não quem é o presidente ou deixa de ser. Se você está investindo para os próximos 40-50 anos, de que importa quem vai ser o presidente hoje ou quem não vai ser? Daqui pra lá vão passar 8-10 presidentes no poder e você não pode ficar maluco com cada um deles, inclusive pra isso serve a diversificação no exterior.

É por essas e outras que já quase 10% do meu patrimônio está em dólar e no exterior, pois como vimos ontem, o Brasil não é pra amadores. O dólar subiu de 3,10 para 3,40 num único dia, o que é chato pra caramba pra quem queria viajar ou queria comprar algo em dólar.

FOCA NO BALANÇO

Eu posso ter "perdido" um dinheiro em valor de mercado aqui no Brasil da minha carteira (e sim eu conferi e foi -R$84 mil somente ontem, isso foi como um exercício teórico). Na verdade, EU NÃO PERDI NADA, VOCÊ SÓ PERDE SE VENDER! Se todo mundo tinha a ação do Banco do Brasil a R$35 reais e caiu pra 26 ontem, TODO MUNDO AGORA TEM A AÇÃO NO MESMO PREÇO! Já parou pra pensar nisso? O que você acha que o DONO de uma grande empresa como Grendene ou Graziottin faz quando a ação dele desaba? Considerando que eles têm 20-30% da empresa INTEIRA?

Isso mesmo, ELES NÃO FAZEM NADA! Eles sabem o valor do negócio e deixam o mercado lá brigando sozinho. Então por que você deveria fazer diferente deles se você TAMBÉM É SÓCIO?


Por outro lado ganhei na valorização em dólar do meu portfolio no exterior, compensando parcialmente a volatilidade do câmbio. Ter moedas fortes e empresas no exterior TAMBÉM funciona como um Hedge cambial e acionário. E é por isso que defendo essa estratégia aqui no blog. Agora imagina quando ficar em 50% no exterior e 50% aqui, vou ficar MUITO mais protegido do risco Brasil, no que tange à volatilidade da carteira (e possivelmente com um retorno menor).

Vejam nesse post os motivos que me levaram a investir lá fora:
https://frugalsimples.blogspot.com.br/2017/03/investindo-no-mercado-global.html

Reflitam.

O Buy and hold parece ser uma estratégia difícil mas não é, precisa apenas ter paciência, não se emocionar, ficar tranquilo com a alta volatilidade (do Brasil) e estudar os balanços das suas empresas.

Essa tal de crise política vai passar uma hora ou outra, os mercados vão ficar em calma, as empresas boas terão suas cotações subindo e continuarão entregando bons resultados para os seus acionistas. Se você não fez NADA ontem, PARABÉNS! Aproveite e não faça nada hoje também, e se brincar não faça nada na semana que vem.

Verdadeiras fortunas estão trocando de mãos nesses dias. Certifique-se de que ninguém vai levar seus ativos, suas ações e suas economias que você juntou com muito trabalho para sua aposentadoria lá na frente.

Grande abraço,
Frugal.