Translate

domingo, 20 de agosto de 2017

Prepare-se para mudar


Quem nunca ouviu falar "a mudança é a lei da vida", "quem não muda fica pra trás", "a única constante do universo é a mudança", "se você não mudar, o mundo não lhe perdoará". E outras tantas coisas parecidas?

São frases simples e verdadeiras. É uma pequena pílula de sabedoria que contém um mundo dentro. Muita gente não gosta de mudar certas coisas nas suas vidas, pois a zona de conforto fica melhor com o passar do tempo.

E assim como tudo, pode ser apenas morar no mesmo bairro da mesma cidade a vida inteira, ficar sempre perto da família, nunca sair de um relacionamento amoroso devido à inércia e aos transtornos de acabar e recomeçar, ficar no mesmo emprego, ganhar dinheiro do mesmo jeito, gastar dinheiro do mesmo jeito, investir nas mesmas coisas, viver a vida do mesmo jeito e por aí vai.

A segurança de ficar onde você está um dia vai cobrar o seu preço, pode ser alto ou baixo, mas será cobrado. Você pode se acomodar e ficar feliz fazendo o que sempre fez pelos próximos 40 anos, mas já se perguntou qual o custo disso? O custo não é apenas o que você vai pagar, mas também o que vai deixar de ganhar.

Eu costumo ter algumas preocupações simples:

1) O que eu vou ganhar se eu fizer isso?
2) O que eu vou perder se eu fizer isso?
3) O que eu vou DEIXAR de ganhar se eu fizer isso?
4) O que eu vou me eximir de perder se eu fizer isso?

E por aí vai.

Quanto mais o tempo passa, com mais informações e experiência na sua cabeça, tudo vai ficar mais complexo, mais dados para processar e analisar, e você vai precisar ter a habilidade de tornar tudo isso mais simples o tempo todo, senão não vai fazer nada pensando em N variáveis.

Tem gente que só pensa nos problemas antes deles acontecerem, vivem colocando o carro na frente dos bois, ficam paralisadas pelos medos e pelas possibilidades de ocorrências negativas e acabam não fazendo nada, ou não tomando decisão alguma, mas a decisão de não tomar decisão já é uma decisão. Quando você fica em cima do muro numa situação, não pense que não tomou decisão alguma, você tomou a decisão de ficar em cima do muro, e o destino e as pessoas lembrarão disso.

Quando você fica ou se mantém parado você está decidindo sim, você tem que perceber isso. E cada dia parado reforça o seu voto de decidir ficar parado, mesmo que fique parado mantendo-se ocupado como mencionei num post anterior. O impressionante é isso, muita gente não percebe que decidiu não fazer nada e parou no tempo, e o tempo é implacável.

Passei os últimos quatro anos da minha vida praticamente parado, decidindo ficar parado, e claro isso teve um custo enorme, teve suas vantagens e desvantagens. Primeiro que dependendo da cidade que você mora ou do bairro você vai deixar de ver família e amigos ou vai vê-los demais. Segundo o binômio trabalho-estudo vai ficar distorcido, eu não separo as duas coisas, o seu estudo vai ter que ser útil ao seu trabalho ou pra fazer você ganhar dinheiro por fora, o que dá na mesma, você estuda ou trabalha para ganhar dinheiro no fim (sei que não é só isso, mas vamos ver assim) e dependendo do jeito que você está, pode estar indo bem ou mal.

O interessante é que não dá pra julgar se o caminho que tomei foi muito bom ou muito ruim. Quando você pensa quando e onde poderia estar, se for numa situação melhor que a atual e pensa no que NÃO fez para estar lá, pode ficar triste e pensar "poxa, se eu tivesse me esforçado mais e me dedicado mais eu poderia estar lá"... Quando você constata onde você está e se compara com muita gente ou com um VOCÊ numa pior, há algum tempo atrás, ou no mesmo tempo presente mas pior em questão de moradia/relacionamentos/trabalho/qualidade de vida/reserva financeira e etc.. você pode ficar feliz, é só uma questão de perspectiva e de não se deixar levar tanto por nenhum dos dois lados.

Um dia desses um amigo meu me disse que sou preocupado demais, e que eu já "venci na vida". Depende muito de quem olha. Eu não acho que "venci na vida", talvez vencer na vida pra mim seja morar numa casa na praia, num país melhor, ter um bom dinheiro guardado e rendendo e tendo tempo para surfar e viajar, falar uns três ou quatro idiomas, ter uma mulher bonita e não ficar preocupado com tanta coisa. Mas será que isso é possível? Será que você um dia vai conseguir viver LIVRE de tantas preocupações? Mesmo nesse cenário hipotético?

Não estou dramatizando nem nada, mas são coisas que penso. O ser humano é muito insatisfeito com o que tem ou onde está, pelo menos ele tende a isso, muita gente parece que é bem conformada e feliz com o que atingiu na vida, e isso é impressionante.

Nesse semestre, como alguns sabem, estou dando um passo muito grande na minha vida, e muito complicado, pois empreender já é complicado, e investindo dinheiro que guardei nos últimos quatro anos, e ainda mais numa cidade onde não tenho família e tudo isso no Brasil, um país socialista onde o governo e as pessoas odeiam o empresário. É difícil explicar, mas isso tudo parte do desejo de mudança, do onde estou e do onde eu queria estar.

 Empreender é ganhar tempo também, é um passo para trás para dois alguns passos à frente, é comprar tempo, é querer atingir um resultado daqui a 2 anos que, fazendo o que eu faço, eu atingiria em 5 anos, com muito mais riscos óbvio, mas no fundo é apenas isso. Talvez fosse muito mais difícil aguentar essa carga horária horrível e essa pressão por mais 5 anos, talvez algo na minha vida pessoal tenha me inclinado também a isso. É muita coisa no inconsciente para processar e evocar para a superfície, mas vamos lá.

Tem uma parte boa também, a da escala, a da transcedência. E o que é isso? Transcender vai muito além. É um total estado de desgarramento de tudo, e de todas as pequenas preocupações da vida. Um cara que inventa um Google ou um Facebook, ou uma empresa qualquer, que pode ser vendida por muitos milhões ou bilhões pode transcender, não pelo dinheiro, o dinheiro é só um meio, ele pode deixar a sua mente e o seu pensamento em coisa muito mais importante que o dinheiro. Claro que não vou vender tudo por milhões e milhões, mas se daqui a 10 anos eu tivesse uns 10 milhões me rendendo uns 50-60 mil reais/mês, passivos, minha vida poderia se transformar em algo totalmente inimaginável, com um dia todo livre para ler, escrever, fazer hobbies e não me preocupar mais com dinheiro, essa seria a verdadeira independência financeira, bem longa da TSR e da preocupação com os mercados. Mas só dá pra atingir um patamar tão alto com muito trabalho e investimento, e sem mudança isso nunca aconteceria, mudar é o principal, é o que estou fazendo, é a própria disrupção tomando forma, recomeçar, aprender coisas novas, sonhar com um destino melhor, sempre foi isso que me moveu e assim sempre será.

Grande abraço,
Frugal.

domingo, 13 de agosto de 2017

Patrimônio Agosto 2017 - R$2.164.105,00


Acho até bom colocar isso aqui para deixar registrado o ponto em que estou e acompanhar.
Realmente o blog ajuda muito, pois se eu não postasse isso aqui não escreveria em nenhum lugar.
E aqui outra coisa boa do Bastter System, a alocação financeira fica quantificada nos diversos ativos, dando um acesso muito rápido e uma boa visualizada no geral.

Consolidado:

Ações no Brasil: R$ 541.205,00
Fundos imobiliários: R$ 54.647,00
Ações no exterior: U$28.732,00
Imóveis: R$ 1.384.000,00
Renda fixa: R$90.000,00

Total = R$2.164.105,00

Certamente ainda irei vender esses fundos imobiliários, boa parte das ações e a renda fixa ainda este ano. A partir desse post vou colocar os imóveis na conta.

Mas tudo bem. Como falei acho que estou recebendo uma média de R$ 6 mil por mês de dividendos mais a valorização das ações que não dá pra saber, com muita volatilidade pois a concentração no Brasil é muito alta.

A alocação em imóveis permanecerá bem alta pelos próximos 18 meses. Não gosto muito disso, mas será passageiro. Muito provavelmente ficará estacionado muito tempo após a compra dessa casa aí, faltam R$ 995 mil para concluir a alocação em imóveis. Esses valores são a preço de custo e não os preços de mercado, diferentemente de ações, fiis ou renda fixa o qual geralmente divulgamos pelo preço de mercado.

Eu estava meio lento para contratar os funcionários, só contratei a gerente da loja até agora. Estavam faltando mais alguns, coloquei anúncio no jornal impresso da cidade e já recebi alguns currículos, boa parte deles muito bons, fiquei bem feliz. Vai ser muito legal outra rodada de praça de alimentação no shopping para conversar com o pessoal. kkkkkkkkk

O impressionante é que os melhores currículos são de mulheres, ou pelo menos mais caprichados, além do nível educacional e profissional delas estar bem melhor. O que danado os homens andam fazendo da vida? Sinceramente, pelo que estou vendo até agora só vou contratar mulher. Não tenho nada contra. Aliás não sei nem opinar se é ruim ou bom ter muita mulher na empresa, ou ter maioria mulher, ou se seria legal uma proporção mulher/homem 50/50% mas dane-se, não tou nem aí. O cara anuncia que a vaga é pra quem tem curso superior e os caras mandam currículo mesmo apenas com ensino médio, ou senão estão todos empregados, o que acho muito improvável. Não coloquei valor de salário no anúncio.

Fiquei feliz porque pelo que vi vou começar a contratar pra valer e antes do treinamento. Já tem um calendário de treinamento de cada função definido pela franqueadora, então se fulano do cargo X vai começar dia 25 o treinamento, eu tenho que escolher e contratar fulano até o dia 25. E pior, existem alguns testes antes da contratação que o cara que você escolheu tem que passar antes mesmo da contratação, senão ele não vai passar no treinamento, então é meio trabalhoso isso, porque você já tem que pré treinar o cara antes dele ir fazer o teste com a franqueadora, se ele for reprovado você volta à estaca zero. O problema é que o pessoal mente muito no currículo e isso atrapalha na hora do serviço, o cara fala que manja de excel, vai lá faz um teste simples e é reprovado.

Por enquanto é isso pessoal. Lição do dia: Anúncio no jornal local, escrito, para contratar gente está dando certo a um custo não muito alto.

Feliz dia dos pais para quem é pai!

Grande abraço,
Frugal.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Os pensamentos que vão e vem e o medo.


Me lembro que certa vez num post aqui falei que iria terminar 2017 com 2 milhões investidos no mercado financeiro.

"The secret of happiness is freedom, and the secret of freedom is courage"
Thucydides


Que virada hein? Vou terminar com quase nada no mercado financeiro, mas vou começar com uma loja legal num lugar legal, bem reformada e ampliada, num imóvel que certamente valerá 2 milhões depois da obra e no qual não vou precisar pagar aluguel pra tocar o negócio (lembrando que no ramo quase 30% da despesa é o aluguel) e ainda tenho a minha profissão para exercer por fora nos dias que eu quiser. Basicamente eu troquei a segurança e a estabilidade de ganhar 10k limpinhos mensais de juros e dividendos e ter esses 2kk investidos, para ter 2kk imobilizados em tijolo, vidro, PCs, cadeiras e balcões de madeira com a simples promessa de me dar mais de 10k mensais de lucro líquido. Eu posso até ter a impressão de que vou conseguir, mas afirmar com 100% de certeza não dá.

Esse tipo de pensamento: Poxa, você poderia começar 2018 ganhando uns 10k passivos de renda e um belo patrimônio num lugar intocável, sem se expor a perigos de violência e etc.

Os pensamentos vão e vem, mas agora não tem mais jeito. Já paguei muita coisa, e entreguei mais cheques, agora vai ter que ir de qualquer jeito, por cima de pau e pedra.

Arranjei um segundo funcionário, que vou contratar quando tiver com o CNPJ na mão, juntamente com a primeira. A coisa vai ganhando forma aos poucos.

Em setembro a obra vai estar a todo vapor e vou fazer o último treinamento, dessa vez em SP, in loco, numa loja já bem estabelecida e que o dono me recebeu super bem pelo whatsapp. Certamente vai ser uma experiência bastante interessante.

Agora o medo.

Muita coisa que a gente sabe na vida está apenas no nosso subconsciente e não mais no consciente.
Pode até não parecer, mas me lembro de ter lido quase uns 50 livros de psicologia, PNL, Gestalt Terapia, além de mais umas 6 dezenas de livros clássicos e também de Filosofia, coisa pura mesmo, com os autores clássicos, os "raíz" e não essa baboseira de coaching e auto-ajuda comercial que a gente vê por aí.

Agora se você me perguntar se eu sei elaborar uma frase qualquer, qualquer que seja uma afirmação sobre qualquer um desses livros, ou algum em específico: eu não sei. Acho que o cara lê, aprende na hora, processa alguma coisa e depois tudo vai pro subconsciente. E é esse extrato que se incorpora nas sinapses da massa encefálica da sua cabeça e que vai lhe ajudar a processar novas informações e tomar decisões no futuro, quanto mais kilometros, mais leituras, mais dados para processar e claro também alguma experiência prática que vem com a idade.

Nos últimos 3-4 anos aprendi muita coisa nova, muita coisa de fora da minha área de formação, evoluí muito, viajei, ganhei algum dinheiro, comprei meu ap, meu carro, mudei de trabalho, fui demitido, morei no exterior, voltei, quis emigrar, tentei, não deu certo, voltei, arrumei outro trabalho, me atolei de trabalho, estudei investimentos como nunca, fiz esse blog (o antigo), mudei pra versão em inglês (o plano é entrar na blogosfera americana pela porta da frente), depois fiz esse em português de novo, mudei a musa do blog e estou aqui na metade de 2017, vendendo minhas ações e comprando madeira.

Eu nunca me achei medroso, na verdade sempre me senti um pouco corajoso e destemido (mais do que deveria) e também um pouco inconsequente, talvez por causa da idade e da revolta normal dos jovens e adolescentes. Não sei porque a maioria dos adolescentes tem que ser revoltados com alguma coisa ou alguém, eu era na minha ou então tive uma adolescência bem tardia (no meio da faculdade).

MAS, pra fazer essa coisa de empreender (sem clichês) o cara tem que ser destemido. Esse tipo de coisa não é pra medroso. O medo turva a sua visão. Essa coisa toda de loja e investir na economia real é mais para quem tem aquela coisa dentro de si, que anda parecendo que tem um motor no meio do peito que faz você andar pra frente, que levante num pulo e levanta animado pra fazer o dia render de verdade. 

Eu quanto estava procurando o ponto, cheguei a visitar pessoalmente uns 8 pontos num dia, fazer umas 15 ligações pra corretores e ainda ir nas imobiliárias. Eu dirigi quase 3h num domingo na hora do almoço, aproveitando que a cidade tá vazia e sem trânsito e saí batendo dezenas de fotos de pontos e de casas, lojas, placas e etc. Tem dias que você vive, que quando você chega em casa, parece que aquele dia rendeu por 10 dias. São dias em que você fecha alguma coisa, toma uma decisão, passa um cheque, assina um contrato. Caramba ir pra frente é isso! É se mexer MESMO. É ir atrás!

Daí vem a chata negociação do ponto, falar com corretor, dono, pedir certidão, pedir documentos no cartório, passar um cheque, discutir sobre o famigerado preço, aquela amolação de tentar baixar um pouco (baixei 20% do valor inicial) e fechei.  Mas não me amarrei no preço. Essa discussão de preço é meio idiotice às vezes. Graças aos meus estudos de açoes e fiis eu tento enxergar mais além. Economizar 50 mil na compra de um imóvel que pode lhe dar mais uns 3-4 mil de lucro mensal apenas por que está numa localização melhor pode ser uma atitude errada, mas em um ano se você tivesse pagado os 50 mil a mais, teria recuperado o dinheiro, e depois ganharia 50 mil todo ano, o preço de um carro zero acima do popular.

E ainda tem a parte do banco. Pessoalmente não me visto muito bem, confesso.
Para o valor do imóvel que comprei eu estava bem mal vestido pra ir no banco deixar os docs e ser escrutinado pelo gerente (que como 99% das pessoas julgam as outras pela roupa). Não que eu seja rabugento, mas eu ando bem simples, calça jeans, camisa básica, tênis normal ou sapatênis, sem relógio e sem mais nada. E minhas camisas básicas que eu ando 90% do tempo são Hering, Riachuelo e C&A. Então pareço realmente ser uma pessoa de renda baixa se o cara olhar pra mim. 

O gerente viu meu IR, olhou pra mim, olhou pra ele, olhou pra mim... perguntou se eu tinha ações com aquela cara de "o que merda eh essa?", eu disse que sim, daí ele perguntou se os demonstrativos de renda que apresentei eram reais mesmo, ok, nesse momento eu me dissocio do meu corpo e viro a câmera de segurança, eu vejo aqueles dois sujeitos ali, separados por uma mesa, com uns papéis na mão, em preto e branco, distancio um pouco a imagem, deixo em preto e branco, e respondo placidamente que "é claro que são reais" no melhor estilo "não acredito que tenho que responder isso". E assim a conversa flui.

Eu sou muito irônico por dentro nessas horas. Tenho centenas de respostas na minha cabeça que não quero dar, às vezes tenho tanta vontade de ser tão direto mas me controlo, acho que isso pode apagar a minha essência se for usado na real ou sistematicamente. Eu sou muito puto com a burocracia e com qualquer coisa de bancos ou de governos, por que na minha vida eu até já precisei de uma ajuda mesmo dessas coisas, mas sempre me foi negado. Nunca tive ajuda de governo, nem de cotas, nem de passagem de ônibus da escola e nem monitoria paga na faculdade, nem gratuidade no restaurante do RU que eu via muita gente ter e eu não tive, e olha que o almoço era R$3 e às vezes eu não tinha isso pra dar.

Estudei em colégio público e ia de bicicleta por que não tinha nem dinheiro pra pagar passagem de estudante, depois no segundo grau estudei em um colégio público do tipo daqueles que tem curso técnico e que ajudam com bolsas de monitoria, vale refeição e ajuda no vale transporte estudantil, me candidatei para tudo isso e nunca fui atendido, mesmo não tenho nada e pai e mãe sobrevivendo de bicos, e separados, e todo mundo morando de aluguel, ou seja, pindaíba crônica e extrema. Pra quem era jovem e ferrado ali na década de 90, o Brasil era MUITO mais difícil do que é hoje, e eu falo isso com certeza porque nunca perdi meu convívio com o povo mais pobre, que recebe bolsa família e que teoricamente é bem lascado, hoje essa galera tem TV, moto, celular, whatsapp, youtube, comem as três refeições e etc. É bem difícil hoje em dia nas grandes cidades você achar alguém que não tenha isso, mesmo nos bairros mais pobres e violentos.

E voltando a falar sobre o medo:

O medo e a preguiça podem lhe paralisar. Sim.
Uma coisa horrível é a "preguiça mantendo-se ocupado". Eu sei o que é porque já passei por isso. Você não quer sair da sua zona de conforto e fica repetindo mecanicamente o seu arremedo de vida fazendo a mesma coisa todo dia e diz que está ocupado para fazer ou aprender outras coisas.

Você fica procrastinando OCUPADO.

Ocupado demais pra aprender inglês ou outra língua.
Ocupado demais pra matricular na academia.
Ocupado demais pra fazer um curso on-line.
Ocupado demais pra viajar e ver a família.
Ocupado demais para tentar mudar de profissão ou de país.
Ocupado demais para pesquisar uma forma de mudar de vida.

E aí a sua ocupação vira preguiça, das piores que têm.
Com a preguiça vem o cansaço, a reclamação e a desesperança.
A sensação de ficar preso num lugar, sem expectativas de sair, de ser livre, de respirar sem muitas amarras. Tudo isso fica pra trás a cada dia que passa e você fica preguiçoso mantendo-se ocupado.

É preciso coragem pra enfrentar o medo e a preguiça.

Eu não vou me render aos meus ganhos atuais, à minha carga horária horrível, e ao meu esboço de vida. A vida que eu quero de verdade é muito mais além, é sem fronteiras, é uma vida de abundância (de experiências e de liberdade), é aquela vida de olhar só o lado esquerdo do cardápio, imaginar o prato e pedir o que quer comer ali na hora que mais vai lhe satisfazer.

A vida não é só subsistir. Talvez passei os últimos quatro anos preocupado apenas com minha subsistência, acho que superei essa barreira, ou transcendi, não sei direito, não me preocupo mais. Eu simplesmente acho que vou conseguir subsistir para sempre com as habilidades que eu tenho e com meu patrimônio atual e futuro.

Eu nasci careca, analfabeto, banguelo, pobre, desempregado e não sabia nem falar português. Tudo que tenho hoje já foi me dado ou conquistado e consegui manter muita coisa. Já sou grato à vida, às minhas experiências, à minha infância pobre em recursos materiais mas muito rica em amizades e brincadeiras nas ruas, uma infância inocente e feliz. 

Tive uma adolescência quase que do mesmo jeito, apesar de que mais complicada devida às coisas da idade mesmo, mas foi feliz, é preciso ser justo, passaria por tudo de novo, mesmo com as dificuldades financeiras foi legal. Acho que no futuro você tem que olhar para o seu passado e sentir orgulho, aí sim você vai perceber que sua vida pode ter valido a pena de verdade.

Fiquei um pouco ausente aqui do blog nas últimas semanas e nos blogs dos amigos pois estava sem PC e o mês está sendo bastante cansativo para mim por causa do trabalho, por causa da natureza do trabalho, e não o cansaço físico ou esgotamento mental, mas para a loja a minha energia se mantém intacta, é como se esse projeto fosse um pedaço de você que tem que dar certo, é bastante interessante.

Bem, acho que vai dar certo. E acho ainda que vai dar bem mais de 10k líquido por mês esse projeto.
Se der 1% ao mês do total investido, vamos dizer R$2 milhões, daria R$ 20 mil por mês já limpinho.
 
Seria grande! Seria sensacional!

Grande abraço!
Frugal!


domingo, 6 de agosto de 2017

Fechamento Julho 2017 - Venda de ações no Brasil


Notícias do último mês:

1 - Não senti nada ao vender praticamente 80% da minha carteira de ações no Brasil, exceto que vou ficar puto em pagar os impostos sobre o ganho de capital. Quando eu digo que sou meio desapegado a dinheiro o pessoal não acredita, e quanto mais o tempo passa, mais desapegado eu fico, pelo simples fato de que ainda posso trabalhar e tenho saúde para mais uns 10 anos de trabalho forte no mínimo.

2 - A independência financeira ficou um pouco secundária agora. Prioridade é recuperar o investimento, pagar o imóvel e fazer a franquia dar certo. Após isso recuperar todas as ações que eu vendi, e ainda começar mais equilibrado investindo em fiis/stocks/RF/ações no BR.

3 - PLUS: Vou abrir uma empresa imobiliária e colocar todos os meus imóveis dentro, alugar alguns, e vou inclusive pagar o aluguel da franquia para mim mesmo, pela outra empresa, com isso vou diminuir o IR sobre o lucro líquido da franquia e posso continuar cobrando esse valor do aluguel se um dia repassar ela para alguém ou simplesmente vender uma parte dela, 30 ou 40%. Faz tempo que eu estava pensando em fazer isso, e ainda mais agora que minha alocação em imóveis vai ficar muito alta.

4 - Assinei o contrato de compra e venda do imóvel. Realmente vou comprar. Tirando a franquia de jogo, o dono do imóvel está endividado e precisando vender, o valor de mercado caiu muito assim como o preço do metro quadrado. Claro que é idiotice investir em imóvel único e caro pois pode se tornar um elefante branco, exceto quando você pretenda transformá-lo em comercial. Mesmo assim ainda tenho uma margem para revenda sem prejuízo e até uma margem grande para lucro com o passar do tempo, reformas (vou quase duplicar a área construída porque tenho terreno e o bairro é nobre) e melhora da economia no Bananal.

5 - Vou entrar com uma parte do imóvel financiada (40% do total), quero só ver quanto tempo a CEF vai demorar para liberar. Enquanto isso vou pagando uma gorda prestação diretamente para o dono, para ir abatendo do saldo devedor e isso sem juros nem nada. Talvez eu tenha que vender ainda mais ações minhas, coisa que não queria fazer, mas ainda vai ter a obra, de forma tal que acho que vou parar de gastar dinheiro nisso só em Dezembro de 2017 mesmo.

6 - Fiz milhões de cálculos, vamos lá:

Expectativa conservadora de lucro líquido mensal da franquia a partir de Janeiro de 2018: R$20 mil/mês. Fiz baixando um pouco da média do ticket médio de outras franquias e vendo aqui na minha cidade o bairro e tipo de cliente acho que vai ser por aí.

Expectativa de término do pagamento do investimento do imóvel + obra + mobília = Dezembro/2018 (somando com os aportes do meu trabalho normal) - de uma maneira tal, que ficarei no zero a zero apenas em Janeiro/2019, isso reinvestindo todos os lucros e colocando novos aportes nisso, talvez dê até antes. Setor de serviços tem uma margem de lucro líquido de 20-30% (é o que disseram).

7 - Não tenho mais como ficar atualizando o post mensal de fechamento devido à disrupção e também não vou ter mais dividendos da bovespa, MAS, e olhe aqui é good news, posso ir colocando a evolução do lucro líquido do negócio mensalmente (o que seria equivalente a dividendos) + posso ir colocando o saldo final do meu imposto de renda apenas para comparar um ano a outro, tudo bem que vai ter imóveis, mas não tem outro jeito, quando eu voltar a ter uma carteira legal no mercado financeiro posso voltar a falar só da carteira, por enquanto vai ficar tudo meio parado, mas a idéia é ver o quadro geral daqui a 10-15 anos, certo?

8 - Para o futuro posso pensar em abrir uma segunda unidade da franquia aqui na cidade, ou outra franquia qualquer em outra cidade, quem sabe na minha cidade mesmo e ficar viajando entre as duas, não sei ainda. Ou então simplesmente ir reinvestindo tudo no mercado financeiro e montar uma potentosa carteira de ações.

9 - E esse aqui é importante:

TREINAMENTO DA FRANQUEADORA. Eu disse aqui que ia ter isso. 

A franqueadora tem treinamento permanente, reuniões, avaliações e feedbacks, ou seja, o pessoal cuida mesmo do negócio, não lhe joga no mundo e "se vira".

A porcentagem da receita deles com a venda de franquias não chega nem a 3% (no que tange ao valor da "taxa" de franquia), então não iriam se matar e se queimar por causa desses 3%.

Se eu contar que passei quase três dias bem produtivos, inclusive com a presença do diretor comercial da franqueadora no Brasil (a franquia tem em mais de 10 países que eu saiba), basicamente só eu e outro franqueado, em reunião, aula, discussão, pitch, tira dúvidas, perguntas e mais perguntas tudo isso? Vocês vão acreditar? Pois foi.

Esse diretor é muito foda, me deu até whatsapp dele, e-mail, bastante acessível e gente boa.
Pra vocês terem uma idéia, ele chegou a ter 17 lojas no Brasil. O dono da franqueadora falou com ele, pediu pra ele vender TODAS e ir trabalhar diretamente com ele, além de ser sócio da franqueadora.
DICA: Ele me disse que ganhava mais de R$ 20 mil reais líquido em cada uma, então multiplique isso por 17, o que dá 340 mil reais/líquido por mês. Parece mentira não é? Pois não é.

Então o cara não é qualquer um, é um alto executivo de fato. Desses que aparecem em capas de revistas de negócios. Chutando que o cara ganha agora R$500 mil/mês, deve estar ganhando de 6-8 milhões por ano. Mas estou só chutando.

Mas sem querer falar em dinheiro dos outros, porque isso é besteira mesmo, (talvez quem sabe foi um dos caras mais ricos que já cheguei perto, e melhor que isso, fui orientado e treinado e agora tenho acesso fácil),  só falei isso para demonstrar o nível do treinamento que tive acesso, escrutinando desde o detergente ao alarme, passando pelos funcionários, internet, redes sociais, reclame aqui, relações com fornecedores e outras empresas do ramo na cidade e etc etc etc...

Então é isso. O treinamento ainda não acabou, terão outras fases fora a educação continuada.

10 - Fiquei sem PC quase duas semanas, o que foi bom porque larguei um pouco o Facebook que me tira muito tempo, mas me atrapalhou bastante no tocante à franquia. Fiquei com uma folga no cronograma de implantação após a reunião, o que é ótimo pois eu estava realmente muito apertado para entregar em Agosto ainda.

11 - Agora que chegou meu PC (gastei uma nota na autorizada) vou ler os posts dos amigos e comentar quando der. Consegui baixar bastante a fatura do meu cartão de crédito (já era em tempo).

12 - É muito animador e instigante empreender. Sua cabeça fica a mil e você fica pilhado, espero que essa lua de mel dure muito e que a burocracia e a malandragem do Brasil não me desanimem. Já selecionei quatro funcionários e já sei que vou contratar uma deles, só falta estar com CNPJ na mão para assinar a carteira dela. É muito estranho fazer a entrevista (fiz no shopping, na praça de alimentação, afinal de contas ainda estou sem o imóvel e não tinha outro jeito), é nessas horas que você torce pra pessoa que está ali na sua frente tenha uma boa qualificação, estudo, seja educada, apresentável e tenha jeito de falar. Eu realmente estava INTERNAMENTE torcendo pela pessoa, mas por fora disfarcei pra não parecer afoito. É triste constatar que alguns não tiveram nem o mínimo de traquejo, não porque estavam nervosos, mas simplesmente é falta de capital humano, kilômetros e kilômetros de leitura.

13 - Até que nem foi caro as taxas do CNPJ, deu nem R$2 mil reais para dar entrada. Foda é o contador que cobrou R$1000,00 por mês para assinar pela empresa e tocar a folha, fiscal, tributário e DRE, tudo. Enfim o cara é bom e me foi muito bem recomendado. Mesmo assim estou achando foda mil reais. Só de contador vai ser R$12 mil por ano.

14 - Pra não terminar em 13, pois 13 é o número do Belzebu, o corretor veio me dizer que o dono do imóvel disse que ia baixar a comissão dele de 6% pra 4% pois o valor ficaria muito alto e etc... e veio me pedir pra eu complementar o valor da comissão pagando os 2% restantes. Eu: "Oi?". Me fiz de doido e disse que isso aí não era nem comigo não. Eu hein? É se colar colou mesmo?

      Esse ponto, depois de reformado vai pegar tranquilamente uns 10-15 mil de aluguel mensal. Por isso não estou esquentando muito, isso já pode ser a minha aposentadoria no futuro, sendo que meu target pra eu ficar tranquilo seria entre 20-30k/mensal, isso aí já vai ser quase 50% do meu target se eu me desfizer da loja e alugar apenas o ponto. OU seja, começando a investir em 2013, no final de 2018 eu já posso ter alcançado 50% do meu target em cinco anos e quem sabe com mais 4-5 anos de trabalho e dando tudo certo eu chego em 100% do meu target, e aí é correr pro abraço.

Por enquanto é isso pessoal, Agosto vai ser intenso também, assim como Setembro.
Continuo arrependido de não ter comprado a porcaria do Bitcoin.

Grande abraço,

Frugal.